"Curo os doentes em casa" Entrevista com Andrea Stramezzi (publicada originalmente no jornal italiano "La Verità")

"Curo os doentes em casa"  Entrevista de Andrea Stramezzi, cirurgião-médico especialista em histologia e ortodontia, concedida a Fabio Dragoni (La Verità

Como o senhor passou a tratar de pacientes Covid?
«Respondendo ao apelo desesperado da Ordem dos Médicos há um ano. Haviam necessidade de médicos da linha de frente e me coloquei ò disposição e comecei a fazer exames de saúde no aeroporto. Imediatamente compreendi que a primeira linha estava em outro lugar. Eu deveria ir até a casa de quem mais precisa ».

Quem foi seu paciente zero?

«Um senhor de noventa anos em estado grave e com aparelho de oxigênio sem jamais ter passado por uma consulta médica. De casa diretamente para a UTI. Começo o tratamento com antiinflamatórios, antibiótico, cortisona e hidroxicloriclina. Eu tinha lido um estudo in vitro e o apliquei. Volto depois de três dias. e o paciente já não está mais entubado, está de pé e vestido. Depois de cinco dias ele já xingava toda a sua família que não o deixava sair por causa do lockdown.

O que aconteceu depois?

«Depois de algumas dezenas de pacientes fui parar em Verbania (região no norte da Itália). Encontro uma Casa de Repouso chama "Eremo di Miazzina" que foi transformada em Hospital Covid. Chego ali e aplico a terapia que tinha funcionado na minha experiência clínica. Adiciono a Heparina. E assim todos os meus trinta pacientes foram curadas e a estrutura hospitalar foi esvaziada.»

Quantos pacientes tratados?

“Cerca de trezentos e perdi dois, os quais morreram depois que foram curados: uma mulher de 96 anos, com doença cardíaca e afetada por Alzeihmer, que morreu com teste "negativo" para Covid. E um paciente com dois tumores e uma metástase pulmonar que morreu enquanto ele estava em reabilitação ».

Como você visita os pacientes?

«Com máscara dupla e mãos nuas, sem luvas. O paciente deve ser palpado. Um aperto de mão antes e depois. Se necessário, um abraço e um carinho."

Por que é necessário tratamento precoce?

“O vírus que entrou nos pulmões pode colonizar outros órgãos e causar danos permanentes. Curei uma menina de 25 anos que foi abandonada por três semanas. A pneumonia intersticial deixou o lóbulo pulmonar rígido como uma pedra. é como se já não o tivesse. Estes são os danos de simplesmente ficar em observação... 


Tratamento precoce com base em ...?

"Anti-inflamatórios, hidroxicloroquina, azitromicina e vitamina D para controlar a infecção. Cortisona para prevenir a tempestade de citocinas. Heparina por via subcutânea para combater o tromboembolismo disseminado. O Covid é uma síndrome respiratória viral. Deve ser tratada precocemente porque existem muitos adversários: vírus, bactérias e fungos. Patógenos que colonizam órgãos inflamados facilmente. Para isso, também precisamos de anti-inflamatórios.

"Assim os inimigos acabam?"
Não. Devemos evitar a produção excessiva e anômala de anticorpos específicos. Lembre-se do adjetivo "específico". Depois explicarei o porquê. Eles podem desencadear uma resposta devastadora. A infecção viral respiratória torna-se uma doença auto-imune. Precisamos da hidroxicloroquina: uma droga que é eficaz há décadas contra doenças autoimunes, o fogo amigo que pode destruir o organismo ».

Tudo isso partindo do teste positivo?

«Para mim o teste não é essencial; faço um diagnóstico clínico. É preciso começar com a cura “ontem”. Eu digo aos meus pacientes para iniciarem a terapia imediatamente. Para o teste existe tempo."

Mas os testes tornaram-se quase uma religião...como destrui-la?

“A própria Organização Mundial da Saúde destrói esta "religião". A OMS divulgou um relatório no dia 20 de janeiro de 2021 admitindo o diagnóstico Covid seja com dois testes positivos (o risco de falso positivo ou negativo é alto) ou com o diagnóstico instrumental ou clínico. Um médico pode fazer  isso visitando o paciente. Posso dizer outra coisa que aconteceu no último dia 20 de janeiro?"

Por favor!

“Biden tomou posse e os US $ 750 milhões em fundos da OMS voltaram. Agora, os casos de contágio das notificações nos EUA caíram drasticamente ».

Na Itália, o plano anti-Covid significa plano de vacinação.

"Um grande erro! Não as vacinas não sejam importantes em geral, longe disso, mas não temos organização para aplicá-las no ritmo desejado. E enquanto isso, se não tratarmos os doentes e fecharmos o país, faremos com que morram os pacientes e a economia ».

Todos estão assustados com as variações do vírus.

“Se você cria uma estratégia centrada em vacinas, tem razão em se preocupar com as variantes. Os estudos de validação de vacinas atestam a redução do risco de hospitalização. Porém não temos dados sobre a redução de contágio e a eficácia contra variantes. A terapia precoce, por outro lado, funciona contra todas as variantes. Com licença, mas tenho que ir ».

Não, pare aí. Você tem que me explicar a importância dos "anticorpos específicos"!

“Estou em contato com 254 médicos em todo o mundo. Nós os ajudamos com a terapia inicial domiciliar. Notícias preocupantes chegam do Peru, Bolívia, Colômbia, Chile e Argentina. Pacientes jovens que após apenas três dias de sintomas apresentam uma situação tão crítica a ponto de ter que ser internados. Surgiu a hipótese de uma variante agressiva do vírus. Isso é uma anomalia. Na verdade, uma dupla anomalia. Primeiro porque os pacientes são jovens, segundo porque três dias é um período de tempo muito curto ».

Explique melhor.

“É um conceito essencial, na verdade vital. A tempestade de citocinas, que ocorre provavelmente em alguns pacientes portadores de um gene ainda não identificado, irrompe no quadro clínico durante a produção de anticorpos específicos para Sars-CoV-2. Normalmente isso acontece após sete ou dez dias. Aqui, por outro lado, os soldados "loucos" (as citocinas produzidas pelo sistema imunitário) atiram contra o vírus, mas também contra o organismo depois de apenas três dias. Pensava-se em uma variante agressiva. Refleti muito sobre tudo isso e cheguei a uma hipótese plausível. De fato convincente ».

Qual é?

«Você é infectado pelo Covid e não repara porque é assintomático. Mas seu sistema imunológico gerou os anticorpos específicos. Que em caso de reinfecção atuam contra o vírus, mas infelizmente, em alguns sujeitos geneticamente predispostos, também contra o próprio organismo. Eu repito! Covid pode se transformar rapidamente e passar de síndrome respiratória a doença auto-imune e reinfecção em apenas três dias. Podemos evitar este desenvolvimento nos primeiros dias mas torna-se difícil curar se a doença progride.A única estratégia vencedora é a cura imediata no primeiro dia dos sintomas. Não estou falando sobre a estrada ideal. Mas é um caminho obrigatório ». © REPRODUÇÃO RESERVADA